15 de mai de 2017

fantasmas

O vento rodopia nas frinchas
E anima antigos sussurros

Não há corvos na janela
Nem lareiras

Não há pedras encasteladas
Nenhuma Joana pelos cantos

Não há borboletas
Apenas o pó que volteja
Encandeado pelo lume
Da folha morta

Ninguém vê meus fantasmas

E eles dançam primorosos
com delicadeza e distinção

Rodopiam tarde da noite
Cheios de graça
Roubam-me o ar

Tardios
Mortos
Castiços

(Rosa Cardoso)