2 de ago de 2017

desatino


.

distraída
na pedra fria

caída
na chuva

atos

todos falhos

o lobo sorri
escondendo os dentes
eu sorrio
desvairada

cortada ao meio
lacerada

o frio escorregando pelas entranhas

descia pela chão
em arabescos


24 de mai de 2017

desencana



olha em volta,
não há premissas,
remissão
ou fada de plantão.

nessa noite,
saio armada;
salto alto,
batom,
mira e precisão.

– desvario –

não tem
docinho nenhum,

príncipe
nem mesmo
sapo escondido;

nenhum querubim
desvalido.

– desencana –

põe na conta:
o sábado tá perdido.

abduzido
por essa fada
desligada.
a que te desencantou.
.

(rosa cardoso)

Medusa,Prometeu, totens e espelhos


hoje pensei tanto nessa coisa doida
pensei no teu sorriso
sorri da tua voz

cansei de te ver
mas gostei de te sorrir
da nesga da janela
donde despenca esse céu

eu te chamo


doidivana mente


tempestuoso vento trás teu nome
e vens arrastado e sereno
contar dos nadas abissais

braços remotos falam de totens colossais
cabeças de Górgonas caem dos bolsos
recolho cacos no colo
acaricio teus cabelos

sorrimos e eu

desentendo

deslizo dedos tortos
pelo reverso desses medos

quietos e caros

roubei a égide de uma deusa
 tão doida quanto eu
numa tarde quieta de abril
para congelar sorrisos
prometeu empedrar paixões e terrores


Odisseu, Aquiles, Penélope, Zeus, todos prometeram

Afrodite te escondeu sob um manto fino

oblíquo tu desvias dessa defesa incerta,
ri das serpentes que invento,
abraça-me os joelhos
através dos espelhos em que me guardas
deslinda venenos
destrava portas
ilumina desencantos febris

17 de mai de 2017

Quem ama inventa




Quem ama inventa as coisas a que ama...
Talvez chegaste quando eu te sonhava .
Então de súbito acendeu-se a chama!
Era a brasa dormida que acordava...
E era um revoo sobre a ruinaria,
No ar atônito bimbalhavam sinos,
Tangidos por uns anjos peregrinos
Cujo dom é fazer ressurreições...
Um ritmo divino? Oh! Simplesmente
O palpitar de nossos corações
Batendo juntos e festivamente,
Ou sozinhos, num ritmo tristonho...
Ó! Meu pobre, meu grande amor distante,
Nem sabes tu o bem que faz à gente
Haver sonhado... e ter vivido o sonho !

Mario Quintana

Invocação






Essa noite eu desci
seu colo, quente
- na verdade
escorreguei -
suas mãos macias,
leves...

escuro em volta
(a luz estava em nós)

Meu peito em você
te sentindo quente,
eu estava grudado
e rodávamos
ventando suavemente..

estávamos em uma nuvem qualquer..
dançávamos voando
mergulhados na escuridão

frio lá fora
e você com o calor dos anjos

Guarda,
não quero alma!
Boca língua palma
Preciso te ver!

Guarda essa alma!
Ela já me encantou...

Guarda essa calma!
Esconde esse pejo!

Obedece!
Boca língua palma...

Não me pede calma!
Deixa-me te levar,
raptar surrupiar trancar

Acredita.
Eu não minto.

Cumpre essas promessas
remetidas, arremetidas
por essa boca

Vem. Acredita.
Eu não minto.

Guarda essa alma,
dispa-se sem pressa

Guarda essa alma,
peito perna boca língua

Alma? Que alma?

Por favor, não fala!
Tua voz me perde...
Não me confunde Inferno!

Vem me ver sem alma
sem calma, obedece!
(imagem Lovers #34 por Thomas J.Vilot)