17 de mai de 2017

Acalanto




Queria te escrever um longo poema
Quem sabe achasse as rimas certas



Contasse as sílabas métricas

Apenas pra te dizer desse amor imenso




As palavras viriam prontas

Desceriam como cascata

De um rio de solidão e medo




Não importa

Danem-se as rimas

Danem-se as sílabas métricas



Dorme

Meu menino

Meu encanto

Eu te cubro

Eu te aqueço




Nada de tempestades hoje

Nada de fúria

Toma um beijo

Cálido e terno

Dorme que eu te velo.


*IMAGEM:painting by Gogalniceanu Carolina