12 de out de 2016

poetas




Hoje senti tua falta
Rabisquei na parede nua
Pedaços da tua alma
Invocação de reversos

Numa chama fria apareceste

Fugimos pelas gretas
Caçados por verbos curvilíneos
Apregoados nas feiras

Conversamos nas entrelinhas
Entendemos tudo errado

E sorrimos

Acho que é a sina
Aquela coisa da crise
É nosso motor

Que te parece?

Vagar Sem alma,
Pelados assim marcados
Destinados a observar abismos
o chamado feito música

É sina

Fugir
Cantar odes ao abismo
E ao amor
E ao desamor
Num cantochão sem fim

Estás vendo?