26 de abr de 2017

carteando



Liquidifiquei tuas dores
Nesses versos que faço

Tantos

Sempre inúteis e avaros

Mistifiquei os teus e
os meus espantos

Colhi dos teus rabiscos
Meus erros
Meus insanos acertos

Tantos

Sempre inúteis e avaros

Testifiquei da tua mão diáfana
Nesses meus rebuscos esparsos
Falei dos beijos sacros

Tantos

Ainda inúteis e avaros

Codifiquei tua pele
Fiz dela infolio caro
Esfoliei teu dorso
Para reler

Fiz-me rascunho
Confessei meus absurdos
Em conversas vazias e nuas