20 de abr de 2009

PEQUENO PRÍNCIPE


há tantos planetas
pequeno príncipe
tantas galáxias distantes
entrevistas nas frestas
dessas conversas

há tantos laços,
pequeno príncipe
tantos beijos partidos
nessa voragem rasa
em que vagamos rendidos

são vórtices furiosos,
querido amigo distraído e
mastigam teu sorriso
que vagueia no poente

há tanto para não dizer,
pequeno príncipe perdido
tanto para não fazer
não vê?

a tarde caiu pesada e ávara
o sol enlouqueceu
tingiu tudo de um vermelho
vago de inferno

bruxas e santas me recitam
num delírio de céus e pecados
cada vez mais caras
irreais, surreais

é tarde, meu pequeno
(rosa cardoso)