4 de nov de 2009

CELESTIAL





o anjo desliza entre arpejos
azuleja meu cinza
não discuto nem arquejo
ouço meio enleado o beijo
.

espio pelas tiras da tua fala enluarada
que despenca em poesia
cansado deslindo selvas de versos
me aninho nas entrelinhas
.

dissimulado assalto teus olhos
em meio às violentas palavras que desfiam
árduas epopeias
dessa lira extasiada
que servem apenas para descortinar
meus nadas e para sedento
ter teu seio na mão
minha pele grudada na tua

a língua afinando os sonidos
dessas vozes em sustenido
que anseiam pelo atemporal


(rosa cardoso)
imagem : land os shadows III hazel soan