10 de jun de 2017

delicada apatia


ardilosamente
tua utopia
me invade

sem pressa
nem alarde
sutil e docemente

meu sono é pesado
medido e contado
torpor infindo
que me embala

delicada apatia
entranhada na pele