30 de mar de 2016

sereiano

.

Se escuta, sei que não vê
ainda assim o canto ressoa:

É o abismo,
de tantos acordes,
ecos e promessas
que a doce voz entoa.

Ondas sinuosas
repletas de vazio.

Incrustadas em silêncios,
tons quentes embalam,
as antigas rochas pálidas
que atraem os corpos frios.

Entre os cantos, que não vês
e a neblina dos meus desejos

Teu doce engodo
afaga meus semi-tons
– suave desvario –
e transforma minha voz
em vagas de segredos



.

Imagem The Night and the Silent Water
by ForlornExistence